19 de maio de 2011

E do desamor, livrai-nos.






Comunguei uma hóstia de letras
e fiz viva dentro de mim
a poesia.

Para remissão dos pecados
bastam as flores,
cortejando o que se promete tentar.
Orações feitas com poesia,
talvez nos livrem das razões e motivos
que esgarçam o amor.
Não nos deixemos sucumbir 
pelas linhas já prontas,
pois o poeta-exemplo escreveu nas tortas.
Batizemos a convivência com sorrisos
para a redenção das atitudes, 
maculadas por humores ranzinzas.
Que o contato seja a frase-mandamento
porque até podemos crer sem ver,
mas jamais sem sentir.

6 comentários soprados.:

Ayanne Sobral disse...

E perdoai a quem nos têm.

Assim seja.

Quanta sensibilidade, hein. Amei.

Luciana Klopper disse...

Uma verdadeira oração!

Valéria Sorohan disse...

Muito bonito esse poema. uma imagem simples e marcante...

BeijooO*

Michele P. disse...

Amém.

Linda oração para o coração, Angélica.

Abraço meu

Jorge Pimenta disse...

querida angélica,
afinal descartes errou, mesmo: não se pensa e logo se existe; sente-se e por isso se existe.
beijinho com saudades deste teu espaço de irrepreensível encantamento!

mairacastro disse...

Muito legal seu blog. Parabéns.

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."