7 de março de 2012

Dentro/Fora



Vejo os dias amanhecerem um a um
e eu arrastando papéis em meus pensamentos.
Atravessam os dias fazendo barulho sobre meus telhados
e tudo que está aqui dentro vai lá fora procurando espaço.
Tenho comigo uma coleção de pensamentos:
longos, curtos, silenciosos, e é claro, os meus preferidos.
Alguns  eu tentei acompanhar mas nunca consegui, pois se dissiparam feito vento disperso,
trasportando à vontade de ir com a mochila nas costas.
Há aqueles que procuro viver intensamente
e fico tentando arrumar essa minha transparência,
que as vezes é tão fácil de ser confundida, penso eu.
Existem pensamentos que tentam se esconder dentro da xícara de café, no travesseiro, mas às vezes comentem o "grave erro",
de se esconder na tinta da caneta.

6 comentários soprados.:

Helcio Maia disse...

São esses últimos os mais "saudáveis", são transpiráveis, ao serem vestidos pelas palavras, ornamentadas de poesia. Que alívio maravilhoso desvendá-los, para que eles não vendem os olhos da alma e não vendam a serenidade que tanto queremos manter.
Abraço carinhoso.

Assis Freitas disse...

esses que se escondem sob a pena são avassaladores,


beijo

Sandro Ataliba disse...

Que muitos cometam o mesmo erro. Pensamentos esquecidos nada mais são do que desperdício de energia e criatividade.

Maria José Rezende disse...

Olá amiga. Parabéns pelo dia de hoje. Você é uma mulher especial. Beijos.

Refúgio da Alma disse...

O café é seu, mas o pudim... é todinho meu. Rs...


Dentro/Fora, Fora/Dentro, somos sempre pensamentos/sentimentos.

Adoro te ler, perceber, reconhecer.

Milhões de beijos...

Fernanda Fraga disse...

É tão bonito quando a gente consegue ler/ver alguém despido do seu além e o seu avesso nunca é embebido das entrelinhas.
Bjo

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."