3 de setembro de 2011

O que for pra ficar...



Agora, habito à meia-luz.
Estou em algum ponto que não me explico, pois o que a alma possui a razão ignora.
Rota inominável essa que sigo rumo ao burburinho do meu inconsciente.
Já não desacredito de nada, pois o movimento da vida tem uma originalidade inesgotável.
Escrevo e todo meu corpo vai junto.

8 comentários soprados.:

Lua Nova disse...

Só posso dizer uma coisa, querida: perfeito!

"Já não desacredito de nada, pois o movimento da vida tem uma originalidade inesgotável."

Esta frase é brilhantemente verdadeira!!

Parabéns!

Beijokas e um fds lindo pra vc.

Vou colocar esse texto no sidebar do meu blog branco com um link para cá. Eu realmente gostei demais.

Maguinha Oliveira disse...

pois o movimento da vida tem uma originalidade inesgotável... e só quem sabe apreciá-la consegue ver isso! LINDO! ^^

Assis Freitas disse...

essa é a escrita dos sentidos,


beijo

Hugo de Oliveira disse...

Magnífico.


abraços

Ayanne Sobral disse...

A imagem desse post é eloquente. Porque a escrita verdadeira começa mesmo no corpo, aí vai escapulindo pra papel, pra tela do computador.. E faz isso: enche os nossos olhos de beleza. Como você acabou de fazer.

Lindo, Angélica. Lindo.

Refúgio da Alma disse...

Permita-se!

Magnífica imagem.

Beijo em cada pétala.

Alexandre da Fonseca disse...

SEU BLOG CONTINUA LINDO! MUITA LUZ PRA VC BJS VISITE: WWW.INSTITUTOEUQUEROPAZ.BLOGSPOT.COM

Ivan disse...

Escrevo e todo meu corpo vai junto"
Junto com um pedaço da nossa história...
Abraço

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."