15 de fevereiro de 2011

Uma noite a mais...

Insônia estranha que me persegue.
Quatro e meia da manhã
fica bem em qualquer texto.
 Hoje não há sol.
 O tempo lá fora, é solidário
com o tempo aqui dentro.
 Se eu curtisse as cartas,
podia ao menos jogar paciência,
 eu penso.
 As únicas cartas que me interessam
 são as escritas,
àquelas que quase ninguém mais escreve,
 ou se escreve não envia,
inclusive eu.
 As coisas sempre parecem estar
 em outra direção.
 Escolhas feitas,
situações superadas,
 muitas perdas,
meia dúzia de conquistas
 e um imenso vazio.
 Hoje lembro,
que mudei tanto a cor do cabelo
 e nada mudou.
 Na verdade não mudou,
 porque nem eu mesma
 sabia o que queria mudar,
 o que queria transformar,
 o que precisava de outra cor.
Acendi duas velas, gosto de vê-las queimar.
 Calor incendiado de lembranças nos olhos. Penso em ler, mas não sei o que.
 Repenso o silêncio.
 Olho pra porta e penso:
se eu deixar aberta,
 a alegria pode entrar por algum lugar.

[Não custa tentar.]

6 comentários soprados.:

KINHA disse...

Bom dia Angélica


Hoje eu vim convidá-la a participar do SORTEIO lá no bloguito...

Bjoooooooooooooo............

http://amigadamoda.blogspot.com

Betty Gaeta disse...

Oi Angélica,
Adorei o poema insone que vc escreveu. É lindo e muito reflexivo.
Bjkas e uma ótima 4ª-feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Tiago Moralles disse...

Uma noite a menos.

Regina disse...

Lindoo...sempre me identifico com teus textos...teu blog é uma delicia...beijossss

Pérola Anjos disse...

Talvez ela já esteja aí, perdida dentro de você, a felicidade gosta de brincar de se esconder.

beijos e bom encontro!

olhar disse...

portas e janelas abertas...mas o principal: CORAÇÃO ABERTO, minha linda...coração aberto.

beijos com carinho,

Bia

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."