14 de fevereiro de 2011

Um gole d'água, acalma?



Sabe quando a gente tenta, tenta desesperadamente e não adianta. A gente apaga o telefone (que sabe de cor), deleta o e-mail , tenta fugir dos amigos que vão tocar no assunto, mas nada resolve. Está em tudo. Mesmo que eu não procure, não há nada que cure. Não passa, não vai embora. Fica. Não apaga.  Não é apenas registro, é vivência. Não dá pra mudar, pra esquecer ou modificar. O cheiro entranhou. As brincadeiras, os telefonemas, os e-mails, meus abusos, seus sorrisos, minha paciência, suas teimosias, meus exageros, suas provocações. Eu não consigo me separar, enterrar, só escrever. Escrever pra dizer que você fica. Que não consigo me despedir da tua simetria.Você caminha por todo apartamento. A cadeira preta da sala, virou divã. Minha imaginação conhece cada pedaço teu. Eu falo contigo até dormindo, isso quando durmo. Sabe aquelas dores de cabeça? Não foram embora ainda. Também sinto enjoo. Respiro fundo. Tomo um copo d'água na esperança de engolir esse nó da garganta. Procurei em todas as minhas gavetas e não encontrei o mapa de fronteiras entre aqui e aí. Algo me diz (ouvindo as letras do Leoni), que devo procurar com calma, a outra parte do meu espírito que sumiu. Alguém o viu ?

Saiu pra comprar coca-cola e até agora...

10 comentários soprados.:

Ana SS disse...

O texto é lindo. Tanto, que é uma das poucas vezes, senão a primeira, que gosto de ver a nova gramática.
Uau, heim!

Helcio Maia disse...

...e até agora a sede não morreu e por aí afora a cola quer grudar...mas as assimetrias, o nó na garganta...onde está a bússola dos sentimentos?

Mari Amorim disse...

bem ágia me acalma rs!
Boas energias sempre,
Mari

alexandrapinto disse...

lindo, lindo .)

Simone Aline disse...

é... sei...rs
bjs

• cynthia bs disse...

Fatal **

Adorei, Érika.
Fiques com Deus.
Beijos.

Lily disse...

Nossa! Moça, você agora caprichou, falou de amor, do jeito que ele sempre se apresenta. Perturbável, ele...

E fica essa coisa até não sei quando, dizem que muitas vezes ultrapassa a existência.

Beijos,

Suzana/LILY

Luciana Klopper disse...

Deu nó foi em mim!

Assis Freitas disse...

às vezes a gota d'água afunda,

beijo

Ayone Alves disse...

Me doeu...vivenciando!!

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."