30 de agosto de 2010

Pausa - Ou tentativa dela.


A tela olha-me como a perguntar: O que vai digitar?
Penso, ensaio, hesito
Porque o que chega, hoje não veio
Até o fôlego andou na contramão
E as palavras: Nunca mais!
Saíram de mim em vão.

[ Você sempre volta com as mesmas notícias.
Eu queria ter uma bomba, um flite paralizante qualquer.
Pra poder me livrar do prático efeito das tuas frases feitas
Das tuas noites perfeitas, perfeitas. ]

Cazuza

SMS


"Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz.
Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... "

Hoje parecia ser um dia comum.

Apenas parecia...
=)

29 de agosto de 2010

Transpirando



Brindo a bourbon este vulcão
Fantasias espreguiçando-se na caneta
Sensação de dejavú entrando em erupção
Onírico corpo de areia
Delitos de suor em chamas
Quando suspiras o que clamas?

28 de agosto de 2010

Remetente - VOCÊ


Beijo em telegrama
chega ligeiro
omitindo palavras
sem prefácio
só impressão
breve e sucinto
cala minha boca
partilha segredos
do meu labirinto
e depois
como notícia faceira
deixa-me tonta
embriagada
de palavras ímpares
3 ou 7 eu diria
e despede-se
deixando ao meu lado
um outro dia.

Livre

Enamoro as harpas no saguão
Voo que me deixa pegada.
 A música é estrada no espírito
-  E a poesia é mesmo alada.

26 de agosto de 2010

Termal




Sou parte dessa arte quente
da agitação branda 
do sussuro do fogo - e da falta.
Sou vórtice termal
 de arrepio desenhado no pescoço
 e suspiro em naquim.

Sou Angélica
não sou querubim.

...

"Ainda creio que você, quando eu menos esperar,
 possa me chegar com um verso em atitude."

Instantes enraizados

Aonde você vai?
A lugar nenhum, estou aqui.
E vai ficar?
Espero que sim.

O que fazemos agora? Eu me pergunto...
Mas em meu coração tenho a certeza, que a resposta vai nos ocorrer.

24 de agosto de 2010

Muitas vidas.


Lacan diz: O amor é um tipo de suicídio.

Acho que vou render-me a ideia de viver muitas vidas.

22 de agosto de 2010

Enfrentamento

Eu vou encarar.
A cena. O susto.
Essa biografia do risco, esse desalinho.
Não quero o medo sulfúrico corroendo o recomeço.
Quando a onda se distrair, eu vou seguir.


Lacro a inércia e o acaso...
E nado ao encontro das coisas inquietas.

Busca

Hoje pensei sério:
 Se me perguntassem o que mais desejo na vida,
 não saberia responder.
Quero tudo.
 Mas esse "tudo"é tão grande,
 tão vago, que me sinto estonteado.
É preciso ir limitando meu sonho,
apagando as linhas supérfluas,
corrigindo as arestas, até restar somente o centro,
 o âmago, a essência.
Mas qual será esse centro, meu Deus,
que não encontro?

Caio Fernando Abreu

19 de agosto de 2010

Efeitos do tempo.


Excesso de espaço é quase vazio.
Um tátil rítimo que perpassa
o sal da lágrima exausta.

Sintomática e lenitiva,
tenho pressa de chegar aos poucos.

18 de agosto de 2010

Cala.frio


Quando as distâncias me respiram,
fico congelada de quietude.
Hoje caberia ancorar um abraço.
Um abraço que acomoda até o não dito.
Do tipo que se entende a mensagem,
sem precisar mandar recado.


Faz frio aqui.
Se não puder ser abraço,
serve beijo quente no coração.
E porque não?

17 de agosto de 2010

Marcas



Sensação transposta como rastro que sorri
Alma metafísica que flutua no intermédio
Ideia viajante de antecipadas paisagens
Relato longíquo que mareia meus olhos.

Livra-me das verdades supostas
Das confissões prolixas do que é incerto
Súbita voz digerida em meus olhos quentes
Redurmo e refaço novamente o caminho.

Quem sabe agora, a consciência não apague as pegadas.

Ao longo do caminho...

                                  
                                    
Eu já matei você mil vezes
E seu amor ainda me vem
Então me diga:
 Quantas vidas você tem?
                                                
Paulinho Moska

14 de agosto de 2010

Sutileza


Eu ando amontoada de palavras.
Elas não apenas me dizem ou me descrevem,
 elas me renascem.
 Meu corpo imagina. 
Cada idéia 
é um nascer renovado em minhas entranhas.
 Escrever é meu despertencimento.
 Na escrita perco-me lentamente para me achar lá adiante.
 É como um banho demorado,
 onde lavo o meu próprio regresso.
 Modifica-me tanto
que seria mais fácil dizer o que permaneceu.
 É necessidade de sanfonar o verbo para tocar os instintos.
 Hoje mesmo fui tocada pelas frases que ainda nem escrevi.

Atitude!!!

Recupere sua "loucura" em alguns anos de divã
e seja feliz!

Alguma coisa...



"Para seu próprio bem guarde este recado:
alguma coisa sempre faz falta.
Guarde sem dor,
embora doa, e em segredo."

Caio F.

Decisão

(...) É a lição da psicanálise.
Não podemos esperar
que nossa decisão seja compreendida.
 Porque, se fosse compreendida, ela seria razoável,
 e aquilo que é razoável não é decidido no risco.
Normalmente, aquilo que é razoável é chato.
E aquilo que é decidido é apaixonante.
 A decisão se decide na paixão.
 Decisão e paixão estão juntas.

Jorge Forbes,
in Você quer o que deseja?, p. 70.

13 de agosto de 2010

Chegada


Há 13 dias espero
e você acha de chegar na sexta!!!
Não que eu seja dada a superstição,
mas nunca se sabe o que esperar:
-ao passar em baixo da escada
-cruzar com gato preto
-ou em dia de sexta chegar.


Tomara que seja SORTE e não azar!

Via em flor


Margarida é flor que sorri
eu sei
eu vi.
Passou as gargalhadas
pedalando
por aqui.

12 de agosto de 2010

Decisão (origem no verbo latino caedere = cortar)





Está decidido
Corta-se tudo. Meio a meio.
Cara metade.
Cada uma de um lado.
Dizes: Vai, leva tua metade de amor
e eu, sigo com a  minha.
Impasse!
Não quero partir sem teu sentir.
Então, como cortar o amor ao meio?
Decido pela salomânica idéia.
Podes levar meu coração.
Mas por favor, deixa-o inteiro.

11 de agosto de 2010

Beijo no ar



                                          

De pertos distantes
eu te soprei um beijo paquerado.

E aí, você pegou?

Enfadada de esperar

"Há pessoas que estão vindo muito demoradas..."



João Guimarães Rosa

10 de agosto de 2010

No dia de hoje.


Levanto. Café da manhã. Início de dia no trabalho.
Telefono para uma amiga. Abro os e-mails.
Alguém olha para mim e pergunta: Está tudo bem?
Nessa hora, fecho os olhos para não falar.
Respondo qualquer coisa do tipo: Nada como um dia de trabalho!
Sempre pensei que quando escrevia era mais fácil de lembrar.
Então, abro a agenda e começo uma lista de coisas importantes.
Setas nas que são prioridades e asteriscos naquelas que só dependem de mim.
Tantos horários, dia cheio.
Não apenas o dia está cheio.
Quando era criança, eu tinha um diário. Anotava tudo. Enchia as páginas para me sentir com mais espaço.
Era uma catarse, mesmo que minha inocência ainda não entendesse.
Naquela época, havia de tudo.
Coisas que não sabia se queria, mas que deveria. Coragem exercitada e medos que eu aprendi a cavar.
O interessante, é que era a leitura o gosto comum lá em casa.
A escrita nasceu junto comigo. Exacerbou com a dor. Quando todos se foram e apenas eu fiquei.
Eu e a escrita. Companheira inseparável que conversava comigo da mente ao papel.
Pensando bem, não é escrever que facilita lembrar. Ao contrário!
As coisas que não escrevo, nunca vão embora.
Será que foi por isso que parei de te escrever?
Em breve escrevo.
Nem que sejam cartas que não irão viajar.
Apenas escritas para você não ficar.

9 de agosto de 2010

Mãos que abrigam


                                       
Redação lívida
de mãos que fazem vibrar
e estremecer os sentidos
As letras formigam a alma
transmutando detalhes
em séculos vividos.
Desídia íntima
de verdade suposta
como fenômeno de nudez
Transeuntes apressados
em um caminho
sem regresso ou timidez.
Acontecimento atemporal
distraindo a ciência
e a vontade de quem lê 
Acuidade de sensações
que nos fazem
por imaginação sobreviver.
Espera na sombra
e abrigo onde aconteço 
A escrita é sol sem poente
em meu endereço.

7 de agosto de 2010

Prólogo



Invólucro de mim mesma é a escrita
uma gritaria que chega de toda parte aqui dentro
absolvendo-me e punindo-me
em um sentido as vezes difícil de atingir.


Faísca entre meus sonhos os pensamentos
como fogos de artifício em meu vago sono
num hábito vital de percepção sentida
em leque aberto - eu crio e sou um diálogo a sós.

6 de agosto de 2010

Alegria lúdica


Emoção e consequência.

5 de agosto de 2010

"Tudo"


- Moisés disse: “A LEI é tudo.”


- Jesus disse: “O AMOR é tudo.”


- Marx disse: “O DINHEIRO é tudo.”


- Freud disse: A SEXUALIDADE é tudo.”




- e finalmente Einstein disse: “TUDO é RELATIVO .”

(Humor judaico)

4 de agosto de 2010

O amor não é banal...


"Espalhe que o amor não é banal.
 E que, embora estejam distorcendo o sentido verdadeiro dele
 nos tempos modernos de hoje,
 ele existe e é
o ingrediente mais importante da vida,
 a própria porção mágica
da Felicidade".



Mário Quintana

2 de agosto de 2010

=)


"A vida fica muito mais fácil
 se a gente sabe
onde estão os beijos de que precisamos."

Mário Quintana


Diga-me, você sabe? 

Simples assim...

AMANHECI FELIZ DA CABEÇA ATÉ O PÉ.

Porque?
Porque sei lá...
Porque a vida é agora
É pra já!

1 de agosto de 2010

Domingo Drummond



… Sossegue,
o amor é isso que você está vendo:
hoje beija, amanhã não beija,
depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe
o que será.



Carlos Drummond de Andrade