28 de outubro de 2010

Na borda dos braços


Avia-te menino
teça o cafuné.
Siga bordando a avenida
atrevida e plena
de que tudo vale a pena.

E na calada da noite
a noite calada ecoa
As posturas e descomposturas
 que andam abraçadas
sem censuras.

2 comentários soprados.:

Refúgio da Alma disse...

Magnífico!

O prazer é mesmo algo fascinante.


Um ótimo final de semana.

E um cheiro em cada pétala.

Lara Amaral disse...

Ah, deu vontade de um abraço desses, bem agora. Poema altamente sensitivo, amei!

Beijo.

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."