7 de outubro de 2010

Diário

... acordei querendo
dizendo no corpo inteiro
uma escrita diária
no diário da pele
dessas que se diz
no cheiro
no chuveiro
no jeito de mexer no cabelo.

... há coisas que não se pode dobrar
apenas flor se guarda no livro
pele não dá pra guardar
pele a gente cheira
a gente morde
a gente sopra
pra arrepiar.

7 comentários soprados.:

O gerente disse...

é... arrepia mesmo

Encantadora de Abelhas disse...

Lindo e envolvente!
Vc escreve com encanto... É um presente te ler.
Que uma brisa leve te perfume.
Boa tarde,
Bj

Minéia Pacheco disse...

Lindo demais...Senti na pele teu poema!

Talles Azigon disse...

principalemten agente arrepia a pele e somos mesmo um diarío ( se caso quando sumir ao retornar eu me dedico em um tempo maior já que tua poesia merece to o tempo do mundo)

Leo disse...

Adorei!

a gente escreve mesmo desprovidos
de papel e caneta, a todo momento
tudo é palavra.

Um cheiro do pescoço.
pra arrepiar.

*

Solange disse...

Angélica,

virei seguidora...
sim, porque preciso ler sempre essas maravilhas que escreve...

que lindo.
que vontade de ler mil vezes, até decorar e sair por aí... encantando o mundo !!!!

super parabéns !!!!
super...

beijo

Lara Amaral disse...

Maravilha, Angélica!

Beijo, linda!

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."