10 de janeiro de 2010

Devagar


Ando sem pressa nos últimos tempos. Tenho sentido bem mais o chão. Estou procurando encaixar os pedaços que ficaram soltos e terminei os esboços que fiz. Comecei a cozinhar e voltei para o meu violão. Muitas mudaças que eu esperava, chegaram. Não sei se mudei quando superei ou se superei porque algo mudou. O que de fato importa, é que já consigo escrever e deixar que as letras emprestem um novo significado para o meu sorriso atravessando-me para a outra margem.  Escrevo por sobrevivência. As letras, coagulam o sangue que se esvai quando a minha alma está ferida e me aproximam das coisas que eu não tenho coragem. As vezes me abandono à pensar que tudo que sobrou foi a idéia de que :  Eu sei quem eu sou e você apenas me imagina.

Olhe-me sem pressa!
Quem sabe assim...

13 comentários soprados.:

Breno disse...

Noossa!!
Ótimo texto!
Bj..
até a volta!

Álvaro Andrade disse...

Ei!

não sei se vim aqui antes agradecer a visita. essa minha cabeça... rs

em todo caso, obrigado.

e volte sempre ao versos! :)

bonito texto!

Alma Inquieta disse...

Olá querida Angélica!

Desculpa as minhas ausencias!

Espero que estejas bem!

Infelizmente, agora que estou de cama com uma gripe terrível que me impede de me aproximar do meu sogro, o lado positivo, é que me sobra tempo para visitar os amigos...!

Assim, no meu portátil, cá estou eu a retribuir os gestos de carinho.

Tu sabes quem és e eu te imagino linda, por fora e por dentro e que lindo o que escreves!

Escreves por sobrevivencia!
Também por sobrevivencia escreve o dono do blog que te convido a visitar..., vais adorar, porque escreve com a Alma!
De certeza não te vais arrepender, recomendo-o vivamente! Não é bom..., é EXCELENTE!

É de um Amigo meu argentino, mas também é escrito em potuguês.

http://serpai-acerca-de.blogspot.com/

Um beijo e votos de uma excelente semana!

Mariah disse...

eu ainda não sei quem eu sou...mas não desisto de me encontrar!

orlando pinhº d-silva disse...

"o que em mim sente está pensando" - pessoa

também estarei por aquí.

Valéria disse...

Que belo texto, gostei muito, eu também me sinto assim, sem pressa com os pés no chão...madura!

BeijooO

Jefferson Bessa disse...

Olá! O Vórtice está lindo. Parabéns pelo blog. Um grande abraço :-)

Luciana Klopper disse...

Que texto maravilhoso

Felipe A. Carriço disse...

É maravilhoso se redescobrir.

b disse...

Moça:sentir o chão pode ser mais transcendente do que imaginar-se com asas - pois que é mais corajoso.

Anônimo disse...

Eu também só imagino você, e fico feliz quando isso acontece! Imagino um sorriso lindo, e um coração enooooooooorme!!! Escreva, escreva, escreva... Amo ler-te! Beijo bem grande!
Ana Céu.

Jacque disse...

Ai, nossa que lindo isso! Bem reflexivo, Angélica! Sinto paz em tuas palavras, serenidade e principalmente certeza! Ei, eu gosto demais das coisas que escreve, você faz isso com a alma (acho que temos algo em comum,rs).

Parabéns pelo Vórtice!

Abraço!

cantinho she disse...

Nossa que texto maravilhoso mesmo...amei a frase "eu sei quem eu sou e vc apenas me imagina", amiga que lindooooo isso!
Beijooooooooooooooooo

Postar um comentário

"Se tudo passa, talvez você passe por aqui..."